Artigos

A Influência da Luz nas Plantas

 

Alexandre Vendemiatti

www.plantarsempre.com.br

26/06/2017

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar

Baixar em PDF 

 

A Influência da Luz nas Plantas

 

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar com todos a conclusão e também o resumo. O título é um pouco esquisito, mas usual para o fim a que se destina. “Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED’. Em outras palavras, significa dizer o quanto que as mudas de eucalipto cresceram quando submetidas à exposição de luz por 24 horas. Durante o dia, recebendo luz normal do sol, pois ficaram expostas no relento e para a noite, usei uma fotocélula comum, dessas que se acha em qualquer casa de material de construção. Ao entardecer a fotocélula acendeu dois refletores de LED. Refletores comuns encontrados em qualquer casa de elétrica, contudo, usei os de 100 watts de 3000 K. É o que produz a luz amarela. Esta é a dica mais importante, tem que ser luz amarela, pois os comprimentos de onda são mais absorvíveis pelas plantas e os deixei a 1 (um) metro de altura das mudas por um mês. Os resultados foram ótimos, as plantas cresceram 35% a mais e ficaram 36% mais pesadas. Fica a dica para quem possui alguma planta que ainda está em fase de desenvolvimento nesta época de inverno e deseja que ela tenha mais vigor.

 

Segue abaixo cópia do resumo do experimento que será apresentado no 68º Congresso Nacional de Botânica e XXXVI Jornada Fluminense de Botânica no Rio de Janeiro, 20 a 25 de agosto de 2017.

 

 

Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED

 

Vendemiatti, A1; Hoffmann, RHS1; Gonçalves, AN1

 

1Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ/USP, Departamento de Ciências Florestais - Caixa Postal 09, 13.418-260, Piracicaba/SP, Brasil. E-mail: alvendem@usp.br

 

Visando a otimização da produção e da qualidade de mudas sob a influência da luz de refletores LED de 3000 K, no desenvolvimento de mudas de eucalipto em viveiro clonal, foi utilizado um tubete de 50 cm3 e substrato comum com uma muda, caracterizando uma unidade experimental. O experimento foi instalado de 18 de abril a 22 de maio de 2017. O material com 70 dias após o estaqueamento (DAE) foi conduzido em bandejas, no viveiro de mudas localizado no Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP, recebendo manejo convencional. O delineamento contou com 200 unidades experimentais, sendo 50 como bordadura e 150 para análise. Dois tratamentos foram aplicados: T1 padrão, fotoperíodo normal e T2 luz 24 horas, sendo a luz natural substituída no período noturno, por refletores LED de 100 watts distantes a um metro de altura, para evitar o efeito da temperatura. Utilizando o Luxímetro marca Testo modelo 545 o valor foi entre 2.300 a 2.900 Lux e a temperatura obtida com Termômetro marca Raytek modelo Mini Temp MT foi a média de 16,6ºC na superfície das folhas, ambas as medidas a 80 centímetros de distância a partir do ápice da planta até a lente do refletor. Parâmetros biométricos avaliados: comprimento total (Ct), massa seca radicular (Msr), massa seca parte aérea (Mspa), diâmetro caulinar (Dc) e Índice de Qualidade de Dickson (IQD). Foi utilizado o teste Anova, submetido a Tukey. Os resultados mostraram que houve incremento para o tratamento T2 na Massa seca parte aérea (Mspa 36,4%), Comprimento total (Ct 34,8%), com diferença estatisticamente significativa (p≤ 0,01) e IQD para T1= 61,39 e T2= 17,31. Não houve influência na temperatura pelos refletores. Conclui-se que refletores de 100 watts produziram efeitos significativos no incremento de massa, compensando o investimento na sua utilização em produção de mudas de Eucaliptus em viveiro.

 

Palavras-chave: eficiência energética; fotoperíodo; irradiação.

 
 


Regularmente matriculado no CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal e ACIPI

Piracicaba - São Paulo - Brasil




Copyright ©  2019  Plantar Sempre
 
 
              Artigos
 

A Influência da Luz nas Plantas

 

Alexandre Vendemiatti

www.plantarsempre.com.br

26/06/2017

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar

Baixar em PDF 

 

A Influência da Luz nas Plantas

 

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar com todos a conclusão e também o resumo. O título é um pouco esquisito, mas usual para o fim a que se destina. “Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED’. Em outras palavras, significa dizer o quanto que as mudas de eucalipto cresceram quando submetidas à exposição de luz por 24 horas. Durante o dia, recebendo luz normal do sol, pois ficaram expostas no relento e para a noite, usei uma fotocélula comum, dessas que se acha em qualquer casa de material de construção. Ao entardecer a fotocélula acendeu dois refletores de LED. Refletores comuns encontrados em qualquer casa de elétrica, contudo, usei os de 100 watts de 3000 K. É o que produz a luz amarela. Esta é a dica mais importante, tem que ser luz amarela, pois os comprimentos de onda são mais absorvíveis pelas plantas e os deixei a 1 (um) metro de altura das mudas por um mês. Os resultados foram ótimos, as plantas cresceram 35% a mais e ficaram 36% mais pesadas. Fica a dica para quem possui alguma planta que ainda está em fase de desenvolvimento nesta época de inverno e deseja que ela tenha mais vigor.

 

Segue abaixo cópia do resumo do experimento que será apresentado no 68º Congresso Nacional de Botânica e XXXVI Jornada Fluminense de Botânica no Rio de Janeiro, 20 a 25 de agosto de 2017.

 

 

Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED

 

Vendemiatti, A1; Hoffmann, RHS1; Gonçalves, AN1

 

1Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ/USP, Departamento de Ciências Florestais - Caixa Postal 09, 13.418-260, Piracicaba/SP, Brasil. E-mail: alvendem@usp.br

 

Visando a otimização da produção e da qualidade de mudas sob a influência da luz de refletores LED de 3000 K, no desenvolvimento de mudas de eucalipto em viveiro clonal, foi utilizado um tubete de 50 cm3 e substrato comum com uma muda, caracterizando uma unidade experimental. O experimento foi instalado de 18 de abril a 22 de maio de 2017. O material com 70 dias após o estaqueamento (DAE) foi conduzido em bandejas, no viveiro de mudas localizado no Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP, recebendo manejo convencional. O delineamento contou com 200 unidades experimentais, sendo 50 como bordadura e 150 para análise. Dois tratamentos foram aplicados: T1 padrão, fotoperíodo normal e T2 luz 24 horas, sendo a luz natural substituída no período noturno, por refletores LED de 100 watts distantes a um metro de altura, para evitar o efeito da temperatura. Utilizando o Luxímetro marca Testo modelo 545 o valor foi entre 2.300 a 2.900 Lux e a temperatura obtida com Termômetro marca Raytek modelo Mini Temp MT foi a média de 16,6ºC na superfície das folhas, ambas as medidas a 80 centímetros de distância a partir do ápice da planta até a lente do refletor. Parâmetros biométricos avaliados: comprimento total (Ct), massa seca radicular (Msr), massa seca parte aérea (Mspa), diâmetro caulinar (Dc) e Índice de Qualidade de Dickson (IQD). Foi utilizado o teste Anova, submetido a Tukey. Os resultados mostraram que houve incremento para o tratamento T2 na Massa seca parte aérea (Mspa 36,4%), Comprimento total (Ct 34,8%), com diferença estatisticamente significativa (p≤ 0,01) e IQD para T1= 61,39 e T2= 17,31. Não houve influência na temperatura pelos refletores. Conclui-se que refletores de 100 watts produziram efeitos significativos no incremento de massa, compensando o investimento na sua utilização em produção de mudas de Eucaliptus em viveiro.

 

Palavras-chave: eficiência energética; fotoperíodo; irradiação.

 
 




Regularmente matriculado no CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal e ACIPI

Piracicaba - São Paulo - Brasil




 
 
   Artigos

A Influência da Luz nas Plantas

 

Alexandre Vendemiatti

www.plantarsempre.com.br

26/06/2017

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar

Baixar em PDF 

 

A Influência da Luz nas Plantas

 

Em abril deste ano efetuei a coleta dos dados de um experimento que instalei aqui no Viveiro de Mudas do Departamento de Ciências Florestais da ESALQ. Julguei interessante compartilhar com todos a conclusão e também o resumo. O título é um pouco esquisito, mas usual para o fim a que se destina. “Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED’. Em outras palavras, significa dizer o quanto que as mudas de eucalipto cresceram quando submetidas à exposição de luz por 24 horas. Durante o dia, recebendo luz normal do sol, pois ficaram expostas no relento e para a noite, usei uma fotocélula comum, dessas que se acha em qualquer casa de material de construção. Ao entardecer a fotocélula acendeu dois refletores de LED. Refletores comuns encontrados em qualquer casa de elétrica, contudo, usei os de 100 watts de 3000 K. É o que produz a luz amarela. Esta é a dica mais importante, tem que ser luz amarela, pois os comprimentos de onda são mais absorvíveis pelas plantas e os deixei a 1 (um) metro de altura das mudas por um mês. Os resultados foram ótimos, as plantas cresceram 35% a mais e ficaram 36% mais pesadas. Fica a dica para quem possui alguma planta que ainda está em fase de desenvolvimento nesta época de inverno e deseja que ela tenha mais vigor.

 

Segue abaixo cópia do resumo do experimento que será apresentado no 68º Congresso Nacional de Botânica e XXXVI Jornada Fluminense de Botânica no Rio de Janeiro, 20 a 25 de agosto de 2017.

 

 

Biomassa de mudas de Eucaliptus urophylla x Eucaliptus grandis (Hill Ex Maiden) submetidas à influência de luz LED

 

Vendemiatti, A1; Hoffmann, RHS1; Gonçalves, AN1

 

1Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - ESALQ/USP, Departamento de Ciências Florestais - Caixa Postal 09, 13.418-260, Piracicaba/SP, Brasil. E-mail: alvendem@usp.br

 

Visando a otimização da produção e da qualidade de mudas sob a influência da luz de refletores LED de 3000 K, no desenvolvimento de mudas de eucalipto em viveiro clonal, foi utilizado um tubete de 50 cm3 e substrato comum com uma muda, caracterizando uma unidade experimental. O experimento foi instalado de 18 de abril a 22 de maio de 2017. O material com 70 dias após o estaqueamento (DAE) foi conduzido em bandejas, no viveiro de mudas localizado no Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP, recebendo manejo convencional. O delineamento contou com 200 unidades experimentais, sendo 50 como bordadura e 150 para análise. Dois tratamentos foram aplicados: T1 padrão, fotoperíodo normal e T2 luz 24 horas, sendo a luz natural substituída no período noturno, por refletores LED de 100 watts distantes a um metro de altura, para evitar o efeito da temperatura. Utilizando o Luxímetro marca Testo modelo 545 o valor foi entre 2.300 a 2.900 Lux e a temperatura obtida com Termômetro marca Raytek modelo Mini Temp MT foi a média de 16,6ºC na superfície das folhas, ambas as medidas a 80 centímetros de distância a partir do ápice da planta até a lente do refletor. Parâmetros biométricos avaliados: comprimento total (Ct), massa seca radicular (Msr), massa seca parte aérea (Mspa), diâmetro caulinar (Dc) e Índice de Qualidade de Dickson (IQD). Foi utilizado o teste Anova, submetido a Tukey. Os resultados mostraram que houve incremento para o tratamento T2 na Massa seca parte aérea (Mspa 36,4%), Comprimento total (Ct 34,8%), com diferença estatisticamente significativa (p≤ 0,01) e IQD para T1= 61,39 e T2= 17,31. Não houve influência na temperatura pelos refletores. Conclui-se que refletores de 100 watts produziram efeitos significativos no incremento de massa, compensando o investimento na sua utilização em produção de mudas de Eucaliptus em viveiro.

 

Palavras-chave: eficiência energética; fotoperíodo; irradiação.


Regularmente matriculado no CNPJ, Inscrição Estadual, Inscrição Municipal e ACIPI

Piracicaba - São Paulo - Brasil



Copyright ©  2019  Plantar Sempre
Perfil Studio